PIERRE POULAIN EM PORTUGAL

Nos passados dias 23 a 25 de Junho a Nova Acrópole de Lisboa teve a honra de receber o fotógrafo Pierre Poulain.
Pierre Poulain, além de Director Nacional da Nova Acrópole em Israel, é fotógrafo, tendo já uma longa carreira tanto de formação como de experimentação e aplicação de um estilo próprio. Ultimamente, tem viajado por todo o mundo, para expor os seus trabalhos e experimentar novas perspectivas a partir da sua objectiva. Como afirma, a fotografia acompanha-o sempre, em cada momento do seu dia-a-dia, pelo que aproveitou estes dias que esteve por Lisboa para registar, com a leveza dos contrastes, «momentos» da alma lusa.

Pierre Poulain comentando as suas fotos no Espaço D. Dinis da Nova Acrópole

Conforme estava programado, nos dias 23 e 24, decorreu o Workshop de Fotografia ministrado por Pierre Poulain, que se dedica a esta arte com um entusiasmo inesgotável, vendo-a não só como forma de expressão pessoal e artística mas como caminho para o conhecimento de si próprio e do ambiente que o envolve. Tendo iniciado o seu percurso em França é de inspiração europeia a sua primeira percepção, mas as perspectivas que marcam o seu trabalho são de traço universal, onde a tonalidade oriental também marca as miríades de cores e intensidade que perpassa o mundo e o próprio Ser Humano ficam registadas nas fotos.
O primeiro dia de formação foi destinado à fundamentação e componente teórica e técnica da expressão fotográfica, em que Pierre Poulain destacou a educação para a fotografia como base essencial na formação do fotógrafo, pois se um bom músico deve, inicialmente, habituar o seu ouvido à boa música também o fotógrafo que aspira a ser melhor deve habituar o seu olhar a admirar e analisar as fotografias dos grandes mestres. Seguiu-se uma série de explicações técnicas, que se mostraram de grande interesse para o grupo de participantes, todas neófitas no mundo da imagem fotográfica, o qual poderíamos definir, segundo Pierre, a fotografia sem flash todavia como «um jogo de luz e de sombras» a que devemos estar sensíveis, receptivos à oportunidade, ao instante decisivo – «Estar disponível para ver coisas novas como uma criança».
No segundo dia, após a síntese para uma compreensão mais clara dos aspectos técnicos, ao palco da fotografia subiu a expressão filosófica. Neste dia, todas se puderam deliciar com a fluidez da inspiração artística:
«A foto é mais do que a descrição. O essencial é o que a foto permite revelar, mostrar no invisível. O que interessa é o que há na foto e permite transmitir. Daí ser muito importante escolher o melhor ângulo para transmitir o sentimento, a mensagem.
Há que ousar. Há que ser invisível, para se puder fazer o que se quer.»
Sempre com um carácter metódico, porém não menos sensível, atento e claramente empático, o Fotógrafo que há mais de vinte anos capta por terras de Israel, motivou, esclareceu, comentando os trabalhos apresentados por cada participante, e, ainda, sugeriu e inspirou.

No dia 25 de Junho, no salão D. Dinis, teve lugar a inauguração da Exposição de mais de 70 fotos de Pierre Poulain, «Momentos de Verdade», como não poderíamos prescindir, apresentada pelo próprio antecedida por umas palavras inspiradas do Director Nacional da Nova Acrópole, José Carlos Fernández. As fotografias, muitas de inspiração a Oriente, no seu arranjo global criam uma dinâmica própria e inconfundível. O autor pôde, ainda, explicar, a pedido dos curiosos assistentes, a história subjacente a algumas das fotos, perpassando por períodos cómicos a dramáticos, à similitude do caminho traçado por cada Homem, como clarificou. É de realçar que é, ainda, possível admirar esta Exposição no mesmo espaço da Nova Acrópole, em Lisboa, de segunda a sexta-feira das 16 às 20h00.
No final todos puderam desfrutar de um elegante Porto de Honra acompanhado, a gosto, por deliciosos sabores a verão. Momento em que os presentes, das mais diversas idades e realidades artísticas e não só, puderam dialogar, proximamente, com o fotógrafo, criando-se um ambiente muito agradável, em que a cultura e a Arte se aliam à Filosofia no caminho da formação.
Estas actividades tiveram o apoio de divulgação da Embaixada de Israel em Portugal e o Adido Cultural françês, Jean-Paul Lefevre, já teve oportunidade de visitar a Exposição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *