Filme Comentado – “Fernão Capelo Gaivota”

gaivota

No passado dia 26 de setembro de 2014 deu-se continuidade ao ciclo de cinema comentado com a apresentação do filme “Fernão Capelo Gaivota” na Biblioteca Galveias, sito no Campo Pequeno.

Os comentários ficaram a cargo de Mariana Esteves, formadora da Nova Acrópole, que falou da mensagem transmitida pelo filme na “pessoa” da gaivota Fernão Capelo Gaivota.

A comentadora referiu que o filme se encontra dividido em 3 partes, representativas do percurso evolutivo da personagem, levando a uma maior ou menor identificação por parte do espectador com cada uma delas, a saber:

1.ª parte – é espelhado o impulso interior e a atitude sonhadora por parte de Fernão Capelo em contraste com o bando;

2.ª parte – Fernão consegue um dos seus objectivos e ao tentar transmitir essa possibilidade de superação ao bando é banido, entrando num período de dolorosa mas assombrosa solidão, passado o qual encontra outras duas gaivotas com as quais sente identificação entrando assim na 3.ª fase do seu percurso espiritual;

3.ª parte – a personagem irá encontrar um novo bando e um mestre que com os seus ensinamentos, fundamentalmente práticos, levam Fernão a superar alguns dos objectivos que se tinha proposto, mas fundamentalmente a (re)conhecer-se na sua verdadeira natureza. No final, Fernão, percebe que a evolução, só faz sentido se for feita com amor e partilhada com aqueles, que estando no bando (comunidade), também sentem esse impulso interior de olhar para além das sombras projectadas.

Mariana Esteves, fez um paralelismo entre o processo desta personagem e o do prisioneiro do Mito da Caverna, escrito por Platão no livro “A Republica”.

Para terminar refira-se que a mensagem do filme Fernão Capelo Gaivota é uma mensagem de Liberdade, Superação e Amor Fraterno.

 

Pela Equipa de Redacção da Nova Acrópole

CM

One comment
  1. Foi com muito prazer que assisti não apenas ao visionamento de Fernão Capelo Gaivota mas também à contextualização do filme, efetuada pela oradora da ação, o que permitiu uma reflexão mais profunda sobre a mensagem do mesmo.

    Bem-haja a Nova Acrópole por esta iniciativa que, espero, se repita em novos ciclos de cinema tão interessantes como este.

    Obrigada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *